Escrita, memória e movimento.png

Escrita, memória e movimento

Juliana Ben

A oficina propõe os exercícios da escrita como movimento e da memória como criação. Os movimentos do corpo (físico, mental e emocional) associam-se ao desenvolvimento das ideias criativas, da escrita de memórias, da leitura e da escuta atenta, da expressão oral dos sentimentos e da identificação do corpo como instrumento de ação e de transformação. O envelhecimento do corpo e as memórias nele inscritas nos trazem dores, angústias, medos, alegrias, descobertas, desafios; a busca por equilíbrio passa a ser uma questão importante, assim como as reflexões sobre o tempo, sobre como ele age em nós e como nós agimos nele.

29 de maio

9h às 12h

Ficha Técnica

Ministrante da oficina:

Juliana Ben

MiniBio

Juliana Ben é escritora, pisciana, poeta, performer, produtora cultural, antropóloga, professora de sociologia e dizedora de poesia. Licenciada e bacharela em Ciências Sociais (UFRGS), Mestra em Antropologia Social (UFSC) e Doutoranda em Ciências Humanas (UFSC), é autora dos livros "Te encontro nas minhas linhas em branco" (Editora Artesanal Alpendre, 2012), Preia-mar (Penalux, 2018), Abrasabarca (Medusa, 2018) e Revoluta (Caiaponte, 2019); Juliana é também colaboradora/autora da Revista SubVersa e integrante da Coletiva Abrasabarca. Apresentou poemas e performances no Sarau Quinta Maldita (Florianópolis), no Sarau da Tainha (Balneário Camboriú), na FestiPoa Literária (Porto Alegre), no SLAM Resistência (Curitiba), no Poesia in concert (SESC/São José) e na Bienal internacional de Curitiba, pólo SC (Florianópolis). Juliana, ao lado de Demétrio Panarotto, é idealizadora e produtora do Festival de Literatura PIPA, que teve sua segunda edição em junho de 2020 (online). Em 2020, Juliana foi contemplada com uma das cinco bolsas para poetas do projeto poesia.org. Neste mesmo ano, Juliana foi uma das contempladas pelo Prêmio por Trajetória Cultural Lei Aldir Blanc/SC. Saiba mais em julianaben.wordpress.com.

Escrita, memória e movimento

Juliana Ben

A oficina propõe os exercícios da escrita como movimento e da memória como criação. Os movimentos do corpo (físico, mental e emocional) associam-se ao desenvolvimento das ideias criativas, da escrita de memórias, da leitura e da escuta atenta, da expressão oral dos sentimentos e da identificação do corpo como instrumento de ação e de transformação. O envelhecimento do corpo e as memórias nele inscritas nos trazem dores, angústias, medos, alegrias, descobertas, desafios; a busca por equilíbrio passa a ser uma questão importante, assim como as reflexões sobre o tempo, sobre como ele age em nós e como nós agimos nele.

29 de maio

9h às 12h

Ficha Técnica

Ministrante da oficina:

Juliana Ben

MiniBio

Juliana Ben é escritora, pisciana, poeta, performer, produtora cultural, antropóloga, professora de sociologia e dizedora de poesia. Licenciada e bacharela em Ciências Sociais (UFRGS), Mestra em Antropologia Social (UFSC) e Doutoranda em Ciências Humanas (UFSC), é autora dos livros "Te encontro nas minhas linhas em branco" (Editora Artesanal Alpendre, 2012), Preia-mar (Penalux, 2018), Abrasabarca (Medusa, 2018) e Revoluta (Caiaponte, 2019); Juliana é também colaboradora/autora da Revista SubVersa e integrante da Coletiva Abrasabarca. Apresentou poemas e performances no Sarau Quinta Maldita (Florianópolis), no Sarau da Tainha (Balneário Camboriú), na FestiPoa Literária (Porto Alegre), no SLAM Resistência (Curitiba), no Poesia in concert (SESC/São José) e na Bienal internacional de Curitiba, pólo SC (Florianópolis). Juliana, ao lado de Demétrio Panarotto, é idealizadora e produtora do Festival de Literatura PIPA, que teve sua segunda edição em junho de 2020 (online). Em 2020, Juliana foi contemplada com uma das cinco bolsas para poetas do projeto poesia.org. Neste mesmo ano, Juliana foi uma das contempladas pelo Prêmio por Trajetória Cultural Lei Aldir Blanc/SC. Saiba mais em julianaben.wordpress.com.